quinta-feira, 30 de junho de 2022

Fountainea ryphea CRAMER,1775

 

Fountainea ryphea  CRAMER,1775
Family - NYMPHALIDAE
subfamily - CHARAXINAE
Tribe - ANAEINI
Introdução
tribo Anaeini é composta por 87 espécies neotropicais dos gêneros Coenophlebia , Consul , Anaea , Polygrapha , Memphis , Siderone , Fountainea e Zaretis . As borboletas caracterizam-se por terem um voo muito rápido e forte. Eles têm corpos robustos, asas falcadas e na superfície superior geralmente são pretos, marcados com faixas de laranja, vermelho brilhante ou azul brilhante, de acordo com a espécie. As partes inferiores de todas as espécies dos Anaeini são cripticamente padronizadas e têm uma forte semelhança com as folhas mortas, cascas de árvores ou pedregulhos em que se assentam.
O gênero Fountaina compreende 8 espécies, a maioria das quais amplamente distribuídas por toda a região neotropical. As asas posteriores da maioria das espécies têm caudas curtas, em ambos os sexos, embora nos machos de ryphea e sosippus estas sejam vestigiais ou ausentes.
Em algumas raças de Fountaina ryphea os machos têm um belo brilho roxo nas asas, mas isso só pode ser visto de certos ângulos.
Esta espécie ocorre no México, Guatemala, Belize, Costa Rica, Panamá, Venezuela, Trinidad, Colômbia, Guiana, Suriname, Equador, Brasil, Peru e Bolívia.
Habitats
Esta espécie é geralmente encontrada em habitats florestais secundários / perturbados, por exemplo, ao longo de trilhas largas, margens de rios e perto de habitações. Encontra-se em florestas decíduas e perenes em altitudes entre o nível do mar e cerca de 1000m .
Ciclo da vida
Os ovos são brancos e colocados individualmente na folhagem das plantas alimentícias.
A larva totalmente crescida é verde, com linhas longitudinais mais pálidas ao longo do dorso e levemente marmoreada com marrom avermelhado e branco nas laterais. Tem uma cabeça grande que é adornada com um par de chifres curtos. A larva vive dentro de uma célula feita enrolando uma folha e prendendo-a com seda fina. Alimenta-se de mudas de Croton - uma árvore da Euphorbiaceae.
A crisálida é suspensa pelo cremaster de um caule ou folha. É esverdeado pálido, com as caixas das asas bordadas em amarelo pálido. A cabeça e o tórax formam uma seção em forma de barril, e os segmentos abdominais são altamente comprimidos, formando um cone curto.
Comportamento adulto

As borboletas são geralmente vistas isoladamente, muitas vezes como a única espécie de Fountainea em meio a um grupo misto de espécies de Memphis , Doxocopa e Taygetis que se agregaram para se alimentar de esterco ou frutas podres no chão da floresta. Os machos também visitam infiltrações de esgoto e praias fluviais para absorver água mineralizada.

O voo e o comportamento geral são semelhantes aos de outros gêneros Charaxine. Eles tendem a permanecer assentados na folhagem ou no chão por longos períodos. Se perturbados, eles voam, circulam brevemente e depois pousam na folhagem de uma árvore próxima. Depois de um tempo, eles descem cautelosamente por um período de vários minutos, em uma série de etapas, muitas vezes pousando em folhas que estão sob a luz do sol. Nesses momentos, eles geralmente se aquecem com as asas meio abertas. Eventualmente, eles retornam ao nível do solo e, às vezes, esvoaçam, abanando suas asas por alguns momentos, antes de fechá-las. Uma vez acomodados com as asas fechadas, eles confiam no disfarce proporcionado por suas partes inferiores de "folha morta",

Fountainea ryphea ecuadorialis, Satipo, Peru © Adrian Hoskins. Introduction. The tribe Anaeini comprises of 87 neotropical species in the genera ...

                   ...

Nomes populares borboleta-rubi ou finge-folha.

                             . . .

Identificação da espécie e comentário feitos por Enéas Vasconcelos Gouvêa Junior

É uma Fountainea ryphea. Ela possui uma cor alaranjada bem forte, e com a luz do sol surgem cores como o roxo ou azul escuro. As cores servem para que indivíduos da mesma espécie possam localizar um ao outro, em voo por exemplo.
BORBOLETAS DE ARCEBURGO-MG - NUMERO 82

quarta-feira, 29 de junho de 2022

Bigodinho

 Sporophila lineola

11 cm

MACHO

GÊNERO SPOROPHILA Reúne papa-capins pequenos, de bico robusto, muitas espécies na região, algumas raras ou migratória. Habitam áreas abertas e comem sementes de capins. Muitas fêmeas são apagadas, difíceis de identificar;, salvo quando descritas de outro modo, tem bico escuro e plumagem parda, mais clara por baixo. Atente para os machos! Varias espécies são capturadas para gaiola e estão em declínio.

MACHO - JOVEM

Razoavelmente comum, residente de verão (nov-abr) ou migrante, em capinzais e capoeirinhas na maior parte da região. Ao menos até 1200 m de altitude. Fêmea com bico amarelado. Macho preto por cima, com bigode e alto da coroa brancos, bico preto, espelho na asa e rabadilha brancos; garganta preta, e resto branco por baixo. Macho fácil de identificar; a fêmea as vezes é reconhecida pelo bico. Cria na região. Canto variável e musical, uma sequência de trinados. A população pode declinar em áreas onde é perseguido como ave de gaiola.
Citação: Aves do Brasil Mata Atlântica do Sudeste - John A.Gwynne, Robert S. Ridgely, Guy Tudor e Martha Argel.

MACHO


AVES DE ARCEBURGO-MG - NUMERO 63

terça-feira, 28 de junho de 2022

Jequitibá-rosa

 Cariniana legalis (Mart.) Kuntze

Família Lecythidaceae

Nomes populares - Jequitibá-rosa, Jequitibá-vermelho, jequitibá-cedro, jequitibá-de-agulheiro, estopa, jequitibá-grande, pau-caixão, pau-carga, jequitibá-branco, congolo-de-porco, caixão.

Características morfológicas - Altura de 30-50 m, com tronco de 70-100 cm de diâmetro. Folhas membranáceas, glabras, de 4-7 cm de comprimento por 2,0-4,0 cm de largura. É uma das maiores árvores da flora brasileira. Flores pequenas de cor creme. Fruto pixídio lenhoso.


Ocorrência - Espirito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais (Arceburgo-MG), São Paulo e Mato Grosso do Sul, tanto na floresta pluvial atlântica como na latifoliada semidecídua da bacia do Paraná.

Madeira - Leve (densidade 0,53 g/cm³), macia ao corte, grã direita, textura média, de baixa resistência ao ataque de organismos xilófagos quando expostas em condições adversas.

Utilidade - A madeira é própria para construção civil, obras internas para contraplacados, folhas faqueadas, móveis para construção de brinquedos, salto de calçados, lápis, cabos de vassouras, etc.  A árvore é exuberante e muito ornamental, podendo ser empregada no paisagismo de parques e praças públicas. Esta árvore é tão monumental e admirada que já emprestou seu nome à cidades, ruas, palácios, parques, etc. Com planta tolerante à luz direta é excelente para plantios mistos.

Informações ecológicas - Planta semidecidua, heliófita ou esciófita, caraterística da floresta latifoliada semidecidua. Apresenta dispersão bastante irregular e descontínua , ocorrendo em  alta densidade em determinadas áreas e faltando completamente em outras. Ocorre principalmente no interior da floresta primária densa, onde ocupa o dossel superior; entretanto tolera ambientes abertos.


Fenologia - Floresce durante os meses de dezembro-fevereiro. A maturação dos frutos verifica-se no período de agosto setembro.

Obtenção de sementes - Colher os frutos diretamente da árvore quando os primeiros iniciarem a abertura espontânea. Em seguida levá-los ao sol para completar a abertura e liberação das sementes. Um quilograma contém aproximadamente 22.470 sementes.

Produção de mudas - Colocar as sementes para germinar logo que colhidas e sem nenhum tratamento, em canteiros semi-sombreados ou diretamente  em recipientes individuais contendo substrato organo-argiloso. A emergência ocorre em 12-20 dias e geralmente é superior a 50% com sementes novas.

Citação: Árvores Brasileiras - Harri Lorenzi - Volume 1


O DAP deste exemplar é de 6, 60 m.




domingo, 26 de junho de 2022

Pseudolycaena marsyas LINNAEUS, 1758

Borboleta-Rainha-de-Seda-Azul

FÊMEA

Família - LYCAENIDAE
subfamília - THECLINAE
Tribo - EUMAEINI
Introdução
Quase toda
s as espécies neotropicais de Theclinae estão localizadas no Eumaeini. 
A tribo não está particularmente bem representada nas coleções, então até recentemente uma alta porcentagem permaneceu sem estudo e foi arquivada inadequadamente no gênero 'conveniência' Thecla . Muitos taxonomistas tentaram racionalizar a sistemática dos Eumaeini, sendo o mais recente Robbins que publicou uma revisão em 2004, reclassificando os táxons em 83 gêneros. Atualmente existem 1058 espécies conhecidas. Levando em conta seu pequeno tamanho, comportamento secreto e as grandes semelhanças entre muitas espécies, estima-se que cerca de outras 200 espécies permaneçam por descobrir.
O gênero Pseudolycaena compreende apenas 2 espécies - damo da América Central e marsyas que ocorre da Colômbia ao Paraguai, e também é encontrado em várias ilhas do Caribe.
Pseudolycaena marsyas é enorme em comparação com a maioria dos outros fios de cabelo, medindo quase 6 cm de envergadura. A superfície superior das asas é azul metálico, embora a tonalidade varie de acordo com a localização, do ultramarino nas formas caribenhas ao azul turquesa no Paraguai. Na maioria das formas os machos têm um ápice falcado. Todas essas formas são alocadas a uma única subespécie - Pseudolycaena marsyas marsyas . Ambos os sexos têm cauda.
Habitats
Esta espécie é encontrada em habitats florestais semiabertos perturbados em altitudes entre o nível do mar e cerca de 900m.
Ciclo da vida
Para ser concluído.
Comportamento adulto

As borboletas são geralmente encontradas como singletons e normalmente são encontradas sentadas na folhagem de arbustos, plantas herbáceas ou gramíneas. As fêmeas às vezes são observadas nectarizando as flores, mas os machos são mais comumente vistos bebendo da superfície das folhas. Eles também absorvem em caules, presumivelmente para se alimentar de secreções de pulgões; mas também pode sequestrar alcalóides do ergot (um tipo de fungo que afeta caules e folhas).

Citação: 

The butterflies are usually encountered as singletons, and are typically found sitting on the foliage of bushesherbaceous plants or grasses.

                   FÊMEA

Espécie identificada no Grupo Borboletas e Mariposas Neotropicais, por Enéas Vasconcelos Gouvêa Junior e Pedro Alvaro Neves 

BORBOLETAS DE ARCEBURGO-MG - NUMERO 81
.
 

sábado, 25 de junho de 2022

Chorão

Sporophila leucoptera
12 cm

GÊNERO SPOROPHILA Reúne papa-capins pequenos, de bico robusto, muitas espécies na região, algumas raras ou migratória. Habitam áreas abertas e comem sementes de capins. Muitas fêmeas são apagadas, difíceis de identificar;, salvo quando descritas de outro modo, tem bico escuro e plumagem parda, mais clara por baixo. Atente para os machos! Varias espécies são capturadas para gaiola e estão em declínio.

  MACHO

Escasso, de ocorrência localizada em áreas abertas com moitas esparsas; quase sempre perto d'água, prefere locais brejosos. Ate 1200 m de altitude. Um tanto grande para um papa-capim. Macho com bico amarelo, todo cinza por cima, com espelho branco na asa, e branco uniforme por baixo. A fêmea pode ser identificada pelo grande tamanho e pelo bico claro. O padrão bicolor do macho é único entre os papa-capins. Sozinho ou em casal não se junta em bandos ou com outros papa-capins, O som característico de uma única nota, sonora e clara, "clii, clii, clii". Também chamada de patativa-chorona; é perseguido para gaiola.

Citação: Aves do Brasil Mata Atlântica do Sudeste - John A.Gwynne, Robert S. Ridgely, Guy Tudor e Martha Argel.

MACHO

AVES DE ARCEBURGO-MG - NUMERO 62

quinta-feira, 23 de junho de 2022

Episcea extravagans Warren, 1901


Classificação científica
Reino: Animalia 
Filo: Artrópodes 
Classe: Insecta
Ordem: Lepidoptera
Família: Erebidae
Gênero: Episcea 
Espécies: E. extravagans 
Nome binomial Episcea extravagans
Warren, 1901
CitaçãoWikipédia


Espécie identificada no Grupo Borboletas e Mariposas Neotropicais por Daniel Raventós.

Iniciamos agora o levantamento das mariposas de Arceburgo-MG, esta á primeira. 
Seguindo o mesmo caminho do que já fazemos com a flora e fauna, de um modo geral, aqui no município.

MARIPOSAS DE ARCEBURGO-MG - NUMERO 1


terça-feira, 21 de junho de 2022

Circuito das Artes em Arceburgo/MG - Parte 5

Léo Tattoo Piercing 

Caricaturas

O autor deste trabalho, mostra novamente seu talento. Foi ele que fez o primeiro trabalho do Circuito das Artes de Arceburgo-MG. Trabalho este que desenvolvi quando Secretário de Meio Ambiente, juntamente com minha equipe.


Aqui o lindo trabalho pronto.  esta no muro da piscina municipal. Uma transformação ,muito interessante, compare com as paredes do entorno do trabalho. Minha intenção era fazer todo muro. Embelezamento da cidade, valorização do profissional das artes, cultura a mostra. 


O antes da foto mostra como se deve investir em tornar as cidades mais alegres, mais festivas. Tudo isto com gasto bem pequenos.


 Aqui  o artista Léo pode mostrar todo seu talento e criatividade. A placa que se vê, já existia. Ela ia ficar estranha ali. Ele integrou-a como se fosse referente o trabalho que ele executava, para isto também colocou dois troncos com aves. Perfeito.


O trabalho ganhando formas, e toda alegria de quem fez o melhor.

Para saber mais sobre estes trabalhos, aqui no Blog, clique em:

Circuito das Artes em Arceburgo/MG - Parte 1

O nome do projeto, Circuito das Artes de Arceburgo/MG, foi sugerido pela amiga a artista Yara Pansani, que também nos brindou com um lindo trabalho na rua ...

Circuito das Artes em Arceburgo/MG - Parte 2

7 dias atrás — http://ademircarosia.blogspot.com/2019/04/circuito-das-artes-em-arceburgomg-parte.html. Circuito das Artes em Arceburgo/MG - Parte 3.

Circuito das Artes em Arceburgo-MG - Parte 4

20 de abr. de 2021 — Circuito das Artes em Arceburgo/MG - Parte 4. Renê Muniz. Caricaturas. Foto de Reinado Carvalho (Breve). Em junho de 2017, iniciamos este ...


segunda-feira, 20 de junho de 2022

Praça do Lucaroni

ANTES


Assim como os outros espaços público, ficava abandonado, causando um efeito negativo nos moradores do entorno e, para aqueles que por ali transitavam.

DEPOIS

Com intervenção rápida e de custo não tão alto, se transforma o cenário de uma cidade. Fizemos a calçada, gramado, bancos, mesinha com banquetas, árvores para sombra e, alimento para aves. As imagens falam por si.

AREA VERDE DESTE PROJETO  =  a ser levantada M²

AREAS VERDES DO MUNICIPIO 

TOTAL = 63.818 M²


PRAÇAS E AREAS VERDES DEARCEBURGO-MG- NUMERO 23

domingo, 19 de junho de 2022

Hamadryas chloe (Stoll, 1787)

biscoito azul da amazônia
Hamadryas chlöe STOLL, 1787   
Família - NYMPHALIDAE
subfamília - BIBLIDINAE
Tribo - AGERONIINI
subtribo - AGERONIINA
Introdução
Existem 20 membros do gênero Hamadryas A maioria é encontrada apenas na América Central e do Sul, embora 8 tenham sido registradas esporadicamente no sul dos EUA.
As borboletas são comumente conhecidas como Crackers devido à capacidade dos machos de várias espécies de produzirem um som semelhante ao crepitar do bacon em uma frigideiraO som é produzido quando as borboletas decolam, e é feito por um par de hastes espinhosas na ponta do abdome contra as cerdas nas pinças anais. Apenas os machos podem produzir o som, mas ambos os sexos podem detectá-lo - suas asas têm pequenas células ocas cobertas por membranas que vibram em resposta ao som e estimulam as terminações nervosas. A finalidade do som não é conhecidaPode possivelmente impedir machos competidores de ocupar o mesmo território, ou pode atuar como um gatilho para iniciar a primeira resposta de uma fêmea durante o namoro.
Todas as espécies de Hamadryas têm um belo padrão de chita na parte superior. Em muitos há uma série de ocelos submarginais nas asas posteriores e estigmas distintos em forma de rim nas células discais das asas anteriores e posteriores. Em várias espécies, como februa e glauconome , a cor de fundo é acinzentada e o padrão atua como uma camuflagem extremamente eficaz contra a casca das árvores. Em outros, como anphinome , laodamia e velutina , as asas são pretas aveludadas com um brilho azul e um padrão de manchas azuis brilhantes.
Fotografar Hamadryas pode ser uma experiência frustrante, pois ambos os sexos passam a maior parte do tempo se aquecendo em troncos de árvores, geralmente 10 metros ou mais acima do solo. Eles ficam sentados por horas com as asas abertas, sempre de frente para baixo para manter um olhar atento para potenciais parceiros. Às vezes eles descem e se aquecem muito mais abaixo, a uma altura de apenas alguns metros mas ao menor distúrbio eles imediatamente voam de volta para o topo da árvore. Eles permanecem lá até que o intruso tenha deixado a vizinhança e, em seguida, descem o tronco da árvore em uma série de vôos curtos, caindo uma curta distância a cada vez até que depois de meia hora eles tenham retomado sua posição original.
Hamadryas chlöe é distribuído da Colômbia à Bolívia.
Habitats
Esta espécie é normalmente encontrada em florestas primárias perturbadas em altitudes entre o nível do mar e cerca de 1000 metros. Geralmente é encontrado em clareiras ou na beira de clareiras.
Ciclo da vida
Não consigo encontrar nenhuma informação publicada sobre o ciclo de vida da chlöe , mas é provável que seja semelhante ao de outras espécies de Hamadryas , que põem seus ovos em cadeias de até uma dúzia, penduradas na parte inferior das folhas. As larvas de Hamadryas são tipicamente de cor escura, cobertas por espinhos curtos multi-ramificados, com espinhos mais longos nos segmentos 3 e 10. A cabeça também possui tipicamente um par de chifres ou espinhos longos e ligeiramente recurvados. Todas as larvas de Hamadryas se alimentam de trepadeiras Dalechampia (Euphorbiaceae).
Comportamento adulto

Hamadryas chloe é frequentemente visto se aquecendo em troncos de árvores, adotando uma postura de cabeça para baixo com as asas achatadas contra a casca. Os machos se aquecem nessa posição por longos períodos para aguardar parceiros em potencial. Eles geralmente se instalam a uma altura de cerca de 2m, mas se perturbados imediatamente levantam voo. Depois de alguns segundos eles se reassentam, geralmente mais alto no mesmo tronco de árvore. Lá eles permanecem até que a ameaça passe, após o que eles descem o tronco em uma série de vôos curtos, caindo cada vez mais baixo até que após vários minutos eles retomam sua posição original. Também vi machos se aquecendo na folhagem de bananeiras e plátanos. Eles também visitam solo úmido para obter umidade mineralizada.

Citação

Butterflies of Amazonia - Hamadryas chloe


Hamadryas chloe is often seen basking on tree trunks, adopting a head-downward posture with the wings flattened against the bark. Males will bask in this ...


https://www.learnaboutbutterflies.com/Amazon%20-%20Hamadryas%20chloe.htm

Espécie identificada no Grupo Borboletas e Mariposas Neotropicais por Enéas Vasconcelos Gouvêa Junior e Antonio Pessoa.

Dos 20 membros da Hamadryas existentes, 5 já registrei aqui em Arceburgo-MG.

BORBOLETAS DE ARCEBURGO-MG - NUMERO 80