terça-feira, 18 de setembro de 2018

Visita - 4ºano - Centro Educacional Cory - CEC- a Secretaria de Meio ambiente de Arceburgo/MG.

Educação Ambiental

Tivemos a honra de receber a visita dos alunos da Professora Rita de Cássia, do Centro Educacional Cory - CEC, do 4° ano. Visita muito proveitoso, achamos que estão num nível excelente. Cada aluno fez um trabalho sobre a visita, todos ficaram muito bons, mas os alunos elegerem os três que mais destacaram. 


Trabalho escolhido em primeiro lugar.


UMA VISITA INTERESSANTE

No dia 14-08-2018 eu e a minha turma  G8,  fomos visitar o núcleo ambiental. O lugar é bem grande, antigamente era uma creche .  Lá tem muitas plantas e muitos beija-flores.
O nosso anfitrião  foi Ademir Carosia e a Fernanda chegou pouco  depois .
Eu aprendi que no mundo existem 360 espécies de beija-flores e 17 dessas espécies, foram  encontradas em Arceburgo-MG .  Soube também que os beija-flores tem uma língua grande e fina para beber o néctar das flores. O curioso é que os beija-flores  machos, têm mais brilho,  são de cores mais chamativas e as fêmeas são de cores mais neutras e discretas  para se  camuflar .
Agora chegou a parte difícil...
...escolher a informação que mais me chamou a atenção!  Porém, todas são interessantes, mas a que mais achei interessante foi a explicação do motivo que a língua do beija-flor é tão grande.

A visita foi simplesmente divertida e interessante. um dia de aprendizagem vivenciada.
 Eu adorei a visita ao núcleo.

                                            Ariane – 4 º ano.

Trabalho escolhido em segundo lugar.

NÚCLEO AMBIENTAL.


    Eu e minha sala fomos ao núcleo ambiental no dia 14 / 8 / 2018. Lá era uma creche muito grande, nas cores verde e branca, tem várias salas, um quintal enorme com muitas plantas e pássaros. Atualmente, funciona o “Núcleo ambiental”.
    Quem nos atendeu foi o Ademir. Ele nos explicou quais as espécies e quantas têm em Arceburgo. Ele  foi muito atencioso com a gente.
   Eu aprendi que os beija-flores precisam visitar 1.000 vezes por dia a flor de São João, para se alimentar. O que mais me chamou atenção, foi que os beija-flores machos são mais coloridos que as fêmeas, porque elas camuflam o ninho.
    Foi maravilhosa esta visita.
    
                                       Milena Araújo - 4º ano.


Trabalho colocado em terceiro lugar

VISITA AO NÚCLEO AMBIENTAL.

Em uma manhã de terça-feira, eu e minha turma fomos visitar o Núcleo Ambiental.
 Ademir foi quem nos recebeu. O assunto principal foi sobre Beija-flor, pois a gente tinha lido a fábula ` O Beija-flor e o incêndio´.
Aprendi muitas curiosidades sobre o Beija-flor, ex: Como diferenciar se é macho ou fêmea (O macho tem a penagem mais colorida, pois a fêmea precisa se camuflar no ninho.)
Fiquei impressionado ao saber que uma pequena cidade (Arceburgo) tenha fotografado 17 de 86 espécies de Beija-flor.
Valeu a pena essa visita, agora sabemos muito mais sobre a ave e da parte ambiental de Arceburgo para colaborar com a preservação da espécie.
                    
                           Matheus – 4ºano.

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Circuito das Artes em Arceburgo/MG - Parte 1

Léo Tattoo Piercing

Caricaturas

Em junho de 2017, iniciamos este trabalho, a frente da Secretaria de Meio Ambiente, projeto este com apoio do Prefeito Gilson Mello.O nome do projeto, Circuito das Artes de Arceburgo/MG, foi sugerido pela amiga a artista Yara Pansani, que também nos brindou com um lindo trabalho na rua João Batista. A sugestão das Caricaturas  foi da amiga Zanza Nogueira. Podem ser vistos em vários pontos da cidade de Arceburgo/MG, criando mais uma opção de lazer e cultura para população e visitantes.


Muro gentilmente cedido pela família da amiga Gabriella Jacob.


O artista Léo dando vida ao seu lindo trabalho, trabalho este que esta na entrada da cidade, para quem pelo trevo de acesso do lado paulista.


ANTES


sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Dombeya rotundifolia

Pêra-selvagem


Descrição
A pêra selvagem é um lindo espécime de jardim, e o show espetacular de flores perfumadas é um arauto da primavera.Tem uma haste única e uma coroa um pouco arredondada. É resistente ao frio e à seca. As flores aparecem de julho a setembro, a floração anterior ocorre nas áreas mais ao norte.


Como outras espécies de Dombeya, as flores permanecem na árvore até que as cápsulas de frutas tenham se formado no centro de cada flor. As pétalas ficam marrons e tornam-se secas e leves. Uma vez que a fruta esteja madura e caia da árvore, as pétalas agem como asas e a flutuam para longe.


Esta é uma árvore decídua de crescimento muito rápido, de 1 a 1,5 m por ano. Pode atingir até 10 m de altura, mas geralmente é entre 3 e 6 m. A casca é castanha escura, muito áspera e cor de rosa em árvores maduras. Forma uma camada protetora resistente ao fogo ao redor do tronco. As folhas são quase redondas e são cobertas com os minúsculos pêlos estrelados que são uma característica de Dombeya .

Distribuição e habitat
Dombeya rotundifolia cresce em bosques, pastagens arborizadas e encostas de montanhas rochosas de KwaZulu-Natal para o norte para a Etiópia.

Derivação do nome e aspectos históricos
O nome Dombeya foi dado em homenagem a Joseph Dombey (1742 - 1793), um botânico francês que trabalhou no Peru e no Chile. Rotundifolia refere-se às folhas redondas desta espécie.



Ecologia
As flores secas da pêra selvagem podem ser usadas em arranjos de flores. Esta é uma boa árvore de jardim da vida selvagem, uma vez que atrai abelhas e borboletas. É uma planta de larvas para a borboleta Ragged Skipper (Caprona pillaana ). A pêra selvagem também é um bom exemplar de bonsai, que desenvolve a casca de corky e reduz o tamanho das folhas após 2 - 3 anos.

Usos
Dombeya rotundifolia tem muitos usos tradicionais. Fibra de corda forte é feita a partir da casca, e a planta é usada medicinalmente para vários fins, incluindo uma poção de amor feita a partir das flores. É uma árvore útil em fazendas e reservas naturais, como caça e estoque. A madeira é resistente a cupins e é frequentemente utilizada como mourões.Os criadores de abelhas também apreciam a árvore pelas grandes quantidades de néctar e pólen que produz.

Crescendo Dombeya rotundifolia
A pêra selvagem pode ser propagada a partir de sementes na primavera em bandejas de sementes profundas de boa mistura de plântulas finas, levemente cobertas com areia e mantidas úmidas. As mudas devem ser transplantadas assim que as folhas verdadeiras se formarem, em pequenos sacos de viveiro preenchidos com uma mistura de areia e compostagem 3: 1. Eles devem receber proteção contra o calor e o sol até que sejam endurecidos.
Citação:
pza.sanbi.org/dombeya-rotundifolia
Traduzir esta páginaDombeya rotundifolia has many traditional uses. Strong rope fibre is made from the bark, and the plant is used medicinally for various purposes, including a love ...
Muda adquirida do amigo Edilson Giacon, da Ciprest-mudas. As fotos foram feitas aqui na Secretaria de Meio Ambiente, no espaço de plantas apícolas. Flores, abelhas , perfume, deixam o espaço mais alegre. No momento em que erscrevo começa a chover aqui.


Dialogo meu e do Edilson.
[09:11, 10/9/2018] Edilson Giacon: Bom dia  Ademir !
[09:11, 10/9/2018] Edilson Giacon: Mais uma raridade plantada em Arceburgo.
[09:12, 10/9/2018] Edilson Giacon: Foram sementes que vieram de fora para mim, consegui formar algumas mudas e das primeiras formadas, forneci para você.
[09:15, 10/9/2018] Ademir Carosia: Que blz
[09:15, 10/9/2018] Ademir Carosia: qual é
[09:16, 10/9/2018] Ademir Carosia: ta com uma exuberante florada
[09:16, 10/9/2018] Ademir Carosia: as abelhas tão fazendo a festa
[09:18, 10/9/2018] Edilson Giacon: Dombeia Africana ( Dombeya rotundifolia ) Muito melífera, como as outras Dombeyas. Multiplica-se por estacas, porém a outra enraíza fácil, esta é um pouco mais difícil.
[09:19, 10/9/2018] Edilson Giacon: Que legal ! Faz uma postagem dela em seu blog. Pessoal que conhece as Dombeyas vão ficar encantados.




ARVORES DE ARCEBURGO/MG - NUMERO 34

PLANTAS APÍCOLAS DE ARCEBURGO/MG - NUMERO 8

PLANTAS MEDICINAIS DE ARCEBURGO/MG - NUMERO 6


quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Minhas ações em prol da Natureza - Numero 3

Maquininha de debito/credito.

Toda vez que que fazemos alguma compra com o cartão. O vendedor pode, ou não, emitir sua via do comprovante. Este papel me parece que não é reciclável, e mesmo que for seria um consumo a mais. Assim sendo, eu tomei a seguinte decisão. Antes de digitar minha senha confiro os valores, e peço que não emita minha via.


Já pensou se juntarmos, todos nessa ideia, eu você...

Para saber mais sobre o assunto:

Blog do Ademir Carosia: Minhas ações em prol da Natureza - Numero 1

ademircarosia.blogspot.com/2018/07/minhas-acoes-em-prol-da-natureza-numero.html
24 de jul de 2018 - Esta de hoje foi inspiração e ideia da minha filha Marilia Carosia. Como moro sozinho, tenho que recorrer a alimentação vinda de outros ...
Você visitou esta página em 21/08/18.

Blog do Ademir Carosia: Minhas ações em prol da Natureza - Numero 2


ademircarosia.blogspot.com/2018/08/minhas-acoes-em-prol-da-natureza-numero.html
22 de ago de 2018 - Minhas ações em prol da Natureza - Numero 2. Educação ambiental. Resíduos da cozinha para Compostagem. Resíduos Sólidos. Sempre .

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Centris (Centris) aenea Lepeletier, 1841


Abelha solitária


Na ajuda pela identificação amiga Carmelita Rocha pede ajuda a Professora Genna Sousa.



Favízia Freitas de Oliveira: Provavelmente trata-se da espécie solitária Centris (Centris) aenea Lepeletier, 1841


Genna Sousa
É uma abelha solitária do Gênero Centris. Confere Favízia Freitas de Oliveira?


Estas fotos foram feitas pelo amigo Reinaldo Carvalho, onde tinha várias abelhas desta visitando Pau-de-rosas Physocalymma scaberrimum Pohl. Elas voam sem parar, de flor em flor, com certa rapidez o que dificulta fotografar. Uma combinação perfeita a beleza da flor e da abelha

Agradeço as três amigas citadas acima na ajuda para identificação da espécie


ABSTRATO

A atividade de nidificação de Centris aenea Lepeletier, 1841 foi estudada em dois habitats brasileiros, Caatinga (Monte Santo, Bahia) e Cerrado (Palmeiras, Bahia e Luiz Antônio, São Paulo). Os ninhos foram escavados no solo e não tenderam a ser agregados juntos nos dois locais, mas em Palmeiras os ninhos estavam em uma grande agregação. A arquitetura do ninho consiste em um único túnel não ramificado, inclinado verticalmente, o que leva a uma série linear de quatro células, posicionadas de 8 a 26 cm de profundidade. As células são em forma de urna com base arredondada, e suas capas de células têm um processo oco central, como em outros Centridini. A arquitetura dos ninhos de C. aenea foi comparada com outras espécies de Centris Fabricius, 1804. As provisões são compostas de uma massa de pólen coberta por uma fina camada líquida na qual o ovo é colocado. As fêmeas foram observadas recolhendo óleo nas flores de Mcvaughia bahiana WR Anderson de outubro a março na Caatinga, e em Byrsonima intermedia A.Juss. assim como outras espécies de Malpighiaceae de agosto a dezembro no Cerrado. O pólen é coletado por flores zumbindo de Solanaceae, Caesalpiniaceae, Malpighiaceae e Ochnaceae. Várias fontes de néctar foram registradas. Há evidências indiretas de que Mesoplia sp. parasita ninhos de C. aenea no Cerrado.
Citaçãi:

Nesting biology of Centris (Centris) aenea Lepeletier (Hymenoptera ...

www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101...
Traduzir esta página
de CML Aguiar - ‎2003 - ‎Citado por 52 - ‎Artigos relacionados
Nesting activity of Centris aenea Lepeletier1841 was studied in two ... Nest architecture of C. aeneawas compared to other species of Centris Fabricius, 1804. ..... Flora apícola e relações tróficas deabelhas (Hymenoptera: Apoidea) em uma ...


ABELHAS DE ARCEBURGO/MG - NUMERO 8

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Iraí - Nannotrigona testaceicornis - video -

Mapeamento das abelhas sem ferrão de Arceburgo/MG - Ponto numero 14


Iraí 
Nannotrigona testaceicornis

Ao lado do Bar do Tonho da Paia. 


Ajuda  na identificaçao da espécie: Felipe Tirelli, amigos do Grupo-ABENA, 
Rubens Marcelo de Castro
Doutorando em Ciência Animal e graduando em Apicultura e Meliponicultura.
IFSuldeminas - Campus Muzambinho/MG.



Numa altura do solo de 1 metro.


 No tronco de uma Sibipiruna viva.


No ponto numero 1
Borá
Tetragona clavipes

No ponto numero 2
Mandaguari
Scaptotrigona postica

No ponto numero 3
Abelha boca de sapo

Partamona helleri

No ponto numero 4
Tubuna
Scaptotrigona bipunctata

No ponto numero 5

Borá
Tetragona clavipes

No Ponto numero 6
Tubuna;
Scaptotrigona bipunctata


No Ponto numero 7
Jataí
Tetragonisca angustula

No Ponto numero 8
Tuiuva, tujuba 
Melipona mondury, Smith,. 1863

No Ponto numero 9
Caga-fogo, Tataira
Oxytrigona tataira tataira (Smith, 1863)

No Ponto numero 10
Guaxupé
Trigona hyalinata

No Ponto numero 11
Jataí
Tetragonisca angustula

No Ponto numero 12
Mombucão
Cephalotrigona capitata

No ponto 13
Jataí
Tetragonisca angustula


No ponto numero 14
Iraí 

Nannotrigona testaceicornis


Portanto agora já são 10 espécies identificadas na natureza, porém são 15 enxames, porque no ponto 2 são dois enxames numa mesma árvore.


Resumo das espécies:
Borá.....................2.
Mandaguari..........2.
Tubuna.................2.
Boca-de-sapo.......1.
Jatai......................3.
Tuiuva, tujuba.......1.
Caga-fogo............ 1.
Guaxupé.............. 1.
Mombucão.......... .1.
Irai.........................1.

Total................... 15



sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Lajedo de Pai Mateus

Cabaceiras/ Paraíba.


O Lajedo de Pai Mateus: Um daqueles lugares diferentes, especiais, que parecem ter saído da imaginação de autores de livros de ficção científica, está localizado bem no interior do Brasil.


Misticismo entre as rochas

Um grande terreno rochoso com enormes pedras está localizado na cidade de Cabaceiras, Paraíba, a cerca de 200 Km da capital, João Pessoa e a 74 de Campina Grande, cidade polo do interior do estado.

Ele tem esse nome por causa da história de um suposto curandeiro, o tal Pai Mateus, que teria se instalado no local no século 18. Atendendo pessoas, fazendo rezas e outros rituais em troca de comida e morando entre as pedras.

E de fato, há em uma das rochas, conhecida como gruta do Pai Mateus, uma espécie de altar e pedras perfiladas, dando indícios de que pode realmente ter existido alguma atividade mística ali.
As explicações científicas

Há uma grande quantidade de rochas que possuem um formato peculiar, poucos locais no mundo tem formações rochosas desse tipo, lugares desérticos da Austrália, EUA, Argélia e Namíbia.

Esse formato, segundo geólogos e demais especialistas, é resultado de processos de erosão e fissuras por causa dos ventos e da variação da temperatura (muito quente de dia e frio de noite).

Esses processos já vem de milhões de anos e poderão perdurar enquanto a região existir nessa configuração.
As “Sacas de Lã”

Uma das estruturas mais curiosas e intrigantes fica a uma certa distância das rochas. É conhecida como “Sacas de Lã”.



Pedras gigantescas que se encaixam umas nas outras formando uma espécie de pirâmide ou uma imensa muralha. Essa formação atiça o imaginário do povo do lugar, muita gente cisma que é coisa de seres de outros planetas, de povos antigos… mais ou menos como acontece com a Pedra do Ingá.

Por essa história do Pai Mateus, pelo próprio panorama do local, ele acaba ganhando uma certa aura mística. O que tem fundamento, pois o Lajedo era habitado por antepassados dos índios cariris e pode ter existido algum tipo de centro de cerimônias dedicadas às suas divindades. Isso, a pelo menos uns 10 mil anos antes do curandeiro Pai Mateus.




Outra coisa interessante do Lajedo de Pai Mateus é que ele serviu de cenário pra alguns grandes sucessos do cinema brasileiro, como “O Auto da Compadecida” por isso, quem passa na entrada da cidade de Cabaceiras pode observar o letreiro “Roliúde Nordestina”, numa clara alusão a aquele famoso letreiro de Hollywood.


É um local que realmente merece ser visitado. Fica numa propriedade particular: Uma família é dona de um hotel e explora toda a infra de transporte de turistas pra atender quem queira curtir o Lajedo.

Para obter informações sobre preços de hospedagem, tarifas de passeios, entre outras, deve acessar o site da propriedade. (clique aqui)

Quando há gravações de produções cinematográficas ou televisivas, o Lajedo de Pai Mateus costuma ficar reservado. Portanto, é melhor se programar com bastante antecedência pra não perder a viagem.

Se você gosta de cenários diferentes, histórias interessantes e tem disposição pra caminhar, esse pode ser uma ótima opção de passeio de férias.

Citação:https://oreversodomundo.com/2015/01/22/o-lajedo-de-pai-mateus/


Curiosidades:

Blog do Ademir Carosia: Poços Jorrantes de Cristino Castro-PI

ademircarosia.blogspot.com/2015/02/pocos-jorrantes-de-cristino-castro-pi.html
23 de fev de 2015 - A maior riqueza dessa região não aparece na superfície. Ela está escondida debaixo da terra. O Vale do Gurguéia guarda a maior reserva de ...

Blog do Ademir Carosia: Árvores petrificadas

ademircarosia.blogspot.com/2012/10/arvores-petrificadas.html
23 de out de 2012 - Um mapeamento feito há alguns anos pelo Departamento Nacional de Produção Mineral identificou 17 afloramentos de árvores petrificadas, ...

Blog do Ademir Carosia: Pegadas de Dinossauros nas calçadas de ...

ademircarosia.blogspot.com/2011/09/pegadas-de-dinossauros-nas-calcadas-de.html
27 de set de 2011 - Já tinha visto uma reportagem sobre as pegadas de Dinossauros nas ... saber mais sobre a presença dos Dinossauros na região, leia no Blog.

Fotos/colaboração da amiga Carmelita Rocha.

Belezas Naturais do Brasil.

Belezas naturais do Nordeste.




quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Coelogyne graminifolia

Orquídeas



Ficha da planta – Coelogyne graminifolia

Conhecida como: Coelogyne viscosa Rchb. f. 1856 SECTION Flaccidae Lindl;
Sinônimos: Coelogyne graminifolia Rchb. f. 1874; Pleione graminifolia (C.S.P.Parish & Rchb.f.) Kuntze 1891; Pleione viscosa (Rchb.f.) Kuntze 1891;
Origem: Índia, Birmânia, China, Laos, Vietnã, Tailândia e Malásia – entre 700 e 1000 metros de altitude;
Planta: Epífita e rupícola, 15 centímetros;
Flor: 4~5 centímetros;
Época de floração: inverno;
Longevidade das flores: 20~30 dias;
Fragrância: sim;
Luminosidade: média, baixa;
Umidade: média, alta;
Temperatura: média;
Dificuldade de cultivo: baixa;
Citação:
https://www.orquideas.eco.br › Minhas orquídeas



Para saber mais sobre Otavio Dal Rio Junior
ademircarosia.blogspot.com/2018/04/orquidario-de-otavio-dal-rio-junior.html


Esta orquídea esta no meu jardim do quintal. Ganhei do amigo Otávio Dal Rio Junior, que também doou algumas para o Jardim da Matriz de Arceburgo/MG. Coloquei-as, nas árvores em frente o Club da Praça de Arceburgo/MG.


PLANTAS DA MINHA CASA - NUMERO 6

PLANTAS ORNAMENTAIS DE ARCEBURGO/MG - NUMERO 16












sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Íris-da-Praia

: Neomarica candida.
.

Herbácea rizomatosa, entouceirada, ereta, nativa das restingas do Brasil, com 40-60 cm de altura. Folhas laminares, brilhantes e dispostas em leque irregular. Esta espécie foi apresentada erroneamente na primeira edição e na maioria dos livros de floricultura como Neomarica gracilis.


Inflorescências eretas, simples ou pouco ramificadas, de flores brancas, com manchas amarelas e azul-arroxeadas na ponta das pétalas, formadas na primavera-verão. As flores se abrem de manhã e duram aproximadamente um dia.


É cultivada formando conjuntos isolados, em canteiros a meia-sombra, com terra fertilizada, bem estercada e irrigada periodicamente. Também em bordaduras ao longo de muros e grades ou em jardineiras. Não tolera geadas.

Multiplica-se por divisão da planta.


CITAÇÃO: PLANTAS ORNAMENTAIS NO BRASIL - ARBUSTIVAS, HERBÁCEAS E TREPADEIRAS. - HARRI LORENZI - HERMES MOREIRA DE SOUZA.

PLANTAS ORNAMENTAIS DE ARCEBURGO/MG - NUMERO 15