domingo, 22 de janeiro de 2017

Avenida Doutor Afonso Celso Patelli.

Praças/Áreas Verdes de Arceburgo/MG.

Área verde deste projeto 9.330 m²


Linda avenida de Arceburgo, local escolhido por muitos para caminhada. Como uma das laterais é margeada por um córrego, plantamos neste espaço árvores de mata ciliar. Na frente diversas outras árvores, que alimentam aves, e fornecem néctar para os beija-flores. Portanto aqui também é um ponto de observação de beija-flores, um jardim dos beija-flores.
Além de Palmeiras Washingtonia, com lindo gramado, banco, mesas para convivência


Frente da avenida.


Para os beija-flores lá estão: Grevílea-anã, duranta, mini flamboaiã,, Ipês, Mulungu, malvavisco, caliandra...enquanto fazia estas fotos, além do 

beija-flor-de-orelha-violeta (Colibri serrirostris) 

 da foto, outras dois de especeis diferentes também estavam lá.

Para as aves em geral: Calicarpa, aroeira salsa...

Para consumo humano: Pitanga, cabeludinha...


Mata Ciliar:Sangra-d'Água, Ingá...

Ornamentais: Palmeira Washingtonia, Algodão de praia.


Num dos espaços da avenida plantamos 50 jerivás, que além da beleza, já estão produzindo frutos. Tucanos, abelhas e outro bichos se beneficiam com a versatilidade desta palmeira brasileira.

Coqueiro-jerivá atrai: Arara, mutum, jacu, tucano, saíra, sabiá, sanhaço, jandaia...


ÁREA VERDE ANTERIOR.............. 44.588 m²

ÁREA VERDE DESTE PROJETO.... 9.330 m²

TOTAL....................................      53.918 m² 

PRAÇAS E ÁREAS VERDES DE ARCEBURGO/MG - NÚMERO 14

sábado, 14 de janeiro de 2017

Abelha mirim

Plebeia droryana (Friese, 1900)


Nome popular : MIRIM
Taxonomia

· Hymenoptera
. Apoidea
. Apidae
· Meliponini
Nome científico: Plebeia droryana (Friese, 1900)
Nome popular: Mirim (Nogueira-Neto, 1970).

Distribuição geográfica
Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo (Silveira et al., 2002).

Referência
Silveira et al., 2002. Abelhas Brasileiras. Belo Horizonte.
Ecologia
Abelhas sociais, inteiramente mansas, cujos ninhos são encontrados em diversos lugares, sendo que utilizam desde árvores até barrancos, desde que os ocos sejam de tamanho apropriado e não aquecidos pelo sol em demasia. A entrada do ninho é feita com própolis e é geralmente curta no exterior do ninho, não sendo fechada à noite. Os favos de cria são horizontais ou helicoidais e ocorrem células reais. O invólucro está presente nos favos de cria e é construído com cerume (Nogueira-Neto, 1970). As colônias podem ser constituídas por 2.000 a 3.000 abelhas (Lindauer & Kerr, 1960). A construção dos favos de cria é suspensa no inverno ou em uma parte dele no Estado de São Paulo (Nogueira-Neto, 1970). Nesta espécie, ocorrem machos normais e gigantes, ambos são tratados da mesma maneira pelas operárias (Cortopassi-Laurino, 1978).

Referências
Cortopassi-Laurino, M. Contribuição para o conhecimento dos machos de Plebeia droryana Friese (Apidae, Meliponinae). Dissertação, IB-USP, 1978.
Nogueira-Neto. A criação de abelhas indígenas sem ferrão. Tecnapis. 1970.
Lindauer, M, Kerr, WE. Communication between the workers of stingless bees. Bee World 41: 29-41 & 65-71.1960.
Citação:Plebeia droryana - USP
www.ib.usp.br/beesp/plebeia_droryana.htm
Plebeia droryana (Friese, 1900). Nome popular : MIRIM. Taxonomia. · Hymenoptera . Apoidea . Apidae · Meliponini Nome científico: Plebeia droryana (Friese, ...


 Frequentemente há duas entradas no mesmo pito, uma menor e circular, logo acima da entrada principal, e outra, que fica abaixo, com formato de fenda, que possibilita a passagem de 3 abelhas por vez, o que facilita a sua identificação

Paulo Sirks Vou na mirim droryana...
Ângelo E. Maciel Droryana com certeza. Se tu colocares o dedo perto da entrada, elas começam a andar na tua mão de curiosidade.
Júlia Galheigo Plebeia droryana (veja o douradinho em volta do dorso dela), pela carinha e mais veja as duas entradinhas dela.


Citação: Agradeço os amigos acima descritos, do Grupo MELIPONICULTURA- ABELHAS SEM FERRÃO, pela ajuda na identificação da espécie.

Abelha nativa de Arceburgo.

O prédio onde esta instalada a Secretaria de Meio ambiente foi construído com blocos de cimento. Com um prego fiz vários furos em pontos diferentes, e coloquei um pouco de cera alveolada, dai este enxame se alojou num destes pontos. Vários outros enxames também se alojaram, de outras espécies.Também acredito que tenha mais desta mesma citada aqui.


ABELHAS DE ARCEBURGO - NUMERO 5

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Os 5 beija-flores mais fotografados no WikiAves

São os 5 Beija-flores mais fotografados, no maior site do Brasil e um dos maiores do mundo, o WikiAves.
Quero acreditar, também que por ser um site de tamanha credibilidade, ele traduz a realidade do Brasil.
Poderia assim afirmar que são os 5 espécies beija-flores mais fotografados do Brasil, neste momento.

PRIMEIRO
Com 4.333 fotos.

Beija-flor-tesoura
Eupetomena macroura (Gmelin, 1789)
Foto gentilmente cedida para esta matéria, por Celi Aurora, feita em Meaípe (Praia do Boqueirão) Guarapari-ES, em 14.10.2010. É a segunda foto mais bem avaliada da especie, no WikiAves
Observação do autor: Fez vários voos para retirar fios deste entulho e levar para o ninho perto dali.

SEGUNDO

Com 3.368 fotos

Besourinho-de-bico-vermelho
Chlostilbon lucidus (Shaw, 1812)
Macho - adulto
Fiz esta foto aqui em Arceburgo-MG, no Parque ambiental, em 09.10.2010


TERCEIRO

Com 3.130 fotos

Beija-flor-de-fronte-violeta
Macho - adulto -
Thalurania glaucopis (Gmelin, 1788)
Foto gentilmente cedida para esta matéria por Daniel Mello, feita em Limoeiro, Guapimirim-RJ, em 13.03.2011
É a segunda foto mais bem avaliada do WIKIAVES.

QUARTO

Com 1.730 fotos

Beija-flor-preto
Florisuga fusca (Vieillot, 1817)
Foto gentilmente cedida para esta matéria por Sergio Motta, feita em Itapecerica da Serra-SP, em 16.09.2012, em uma chácara. É a terceira foto mais bem avaliada do WIKIAVES, da espécie.


QUINTO


Com 1.589 fotos

Beija-flor-de-garganta-verde
Amazilia fimbriata (Gmelim, 1788)
Esta foto foi gentilmente cedida para esta matéria por Lucia Calvet, feita no Canal de Marapendi, Rio de Janeiro-RJ, feita em 13.12.2010. É uma das fotos mais bem avaliadas no WIKIAVES, da espécie

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Cachoeira da Fumaça

Carrancas/MG.



Parada obrigatória para quem vem a Carrancas, o cartão postal de Carrancas fica pertinho da cidade, cerca de 3 quilômetros, e tem várias piscinas naturais ao seu redor. Parte de um complexo maior, que inclui ainda as cachoeiras do Fundo da Fumaça, Fumaça de Cima, Véu da Noiva e Luciano, a Fumaça encanta pela magnitude: sua queda principal tem mais de 15m de altura e sua largura a torna imponente. Seu nome vem da “fumaça” que se desprende de suas águas ao caírem forte nas pedras. Já teve papel importante no fornecimento de energia da cidade, era com a força de sua queda que a energia era gerada e assim podia ser distribuída na cidade e em alguns sítios e fazendas mais próximos.



Devido a sua beleza ímpar recentemente a cachoeira da Fumaça serviu como cenário para as gravações da novela Alma Gêmea da Rede Globo. A Fumaça é a única cachoeira de Carrancas que fica em uma área pública, pertencente ao município.

Informação Importante
A Prefeitura Municipal de Carrancas, através do Decreto nº 1.545 de 21 de janeiro de 2015, interditou a Cachoeira da Fumaça para as atividades: banhos, nadar, acampamentos, vendas de ambulantes, prática de esportes radicais.


A medida foi tomada devido dois fatores:
1) A poluição das águas da Cachoeira.
2) Alto índice de morte por afogamento.


Citação:

Resultados da pesquisa

Complexo da Fumaça | Carrancas.com.br

www.carrancas.com.br/cachoeiras/fumaca.shtml


As três fotos acima eu as fiz, estando onde as águas caem, ou seja na parte baixa.
Esta ultima foto mostra a formação rochosa que fica na parte alta do entorno da cachoeira., que fica entre a cachoeira da Fumaça e Véu da noiva.



Esta foto eu fiz da parte alta, onde as águas se encontram e iniciam a queda.

As águas que formam esta linda cachoeira são provenientes  do Rio Carrancas.

Carrancas fica a 333 km de Arceburgo/MG. Uma linda cidade de povo hospitaleiro, ótima gastronomia beleza natural. Com apenas 4.000 habitantes, tem uma extensão territorial de 727 km².

Cachoeiras do Brasil             -    Numero 9
Cachoeira de Minas Gerais   -    Numero 7
Cachoeira de Carrancas/MG -    Numero 1
Para saber mais sobre cachoeiras no Blog:

Blog do Ademir Carosia: Cachoeira do Itambé

ademircarosia.blogspot.com/2016/01/cachoeira-do-itambe.html

24 de jan de 2016 - Para os que querem se aventurar no pé da Cachoeira de Itambé, uma trilha com um declive acentuado, onde os visitantes contam apenas ...


Blog do Ademir Carosia: Cachoeira do Mangue

ademircarosia.blogspot.com/2016/04/cachoeira-do-mangue.html

27 de abr de 2016 - Cachoeira Do Mangue · Portal Monumento De Cajuru. Cajuru - Vem de caá (mata) e yuru (boca). A cidade, localizada numa planície entre ...


Blog do Ademir Carosia: Cachoeira dos Escravos

ademircarosia.blogspot.com/2015/08/cachoeira-dos-escravos.html

9 de ago de 2015 - Tive o prazer de conhecer esta linda cachoeira,agora no final das férias de julho. Como era fim de temporada, não tinha ninguém. Descanso ...

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Surucuá-variado

Trogon surrucura

Surucuás (Trogonídeos)

MACHO


FÊMEA

Fiz estas fotos no Poço das antas. Aqui em Arceburgo/MG, somente avistei esta ave neste local.

Razoavelmente comum, em cerradão, mata de galeria e capoeira. O macho com anel ocular vermelho; cabeça, pescoço e papo azul-intensos e testa, face e garganta pretas; verde-vivo por cima, com vermiculado preto e branco na asa. Peito e barriga vermelho-vivos. A cauda aparece quase toda branca por baixo. Fêmea com meias-luas brancas diante e atrás do olho; cinza por cima, com fino barrado branco na asa. Garganta cinza-escura, clareando em direção ao peito; barriga vermelha. Sob a cauda, penas externas com amplas bordas e pontas brancas, escondendo muito da parte preta. Compare com o surucuá-de-barriga-vermelha (página 157) , menor. O macho com laranja ao redor do olho, barrado por baixo da cauda, e a fêmea com algum  barrado por baixo da cauda, ambos com faixa peitoral branca; também com o surucuá-de-rabo-preto, do NO da região. Comportamento similar ao do surucuá-grande-de-barriga-amarela. O canto é uma série lenta de 20-30 notas "cau", com timbre as vezes caindo na segunda metade, enquanto o ritmo se acelera; é um pouco mais curto, mais acelerado no fim, do que o surucuá-grande-de-barriga-amarela. Dá também vários chamados, como "prrrrr" e "cluc".

Citação: Gwynne, John A., Ridgely, Robert S., Tudor, Guy & Argel, Martha (2010)
Aves do Brasil. Vol. 1. Pantanal & Cerrado.
Editora Horizonte.

AVES DE ARCEBURGO/MG - NUMERO 23

Registramos nossas aves aqui, e no WikiAves; que apresenta no momento o seguinte quadro:

223 especies registradas.
54 familias.
Em Minas Gerias, dos 853 municipios aparecemos na 68 lugar, no quesito numeros de aves observadas/registradas.





domingo, 25 de dezembro de 2016

Cachoeira do Luquinha 1

Delfinópolis/MG
Serra da Canastra - Brasil


Distancias
Arceburgo/MG         145 km
Belo Horizonte/MG 420 km
Rio de Janeiro/RJ     850 km
São Paulo/SP           500 km
Campinas/SP           325 km

Fica a 32 km de Delfinópolis O acesso não é muito fácil com carros comuns o ideal é 4x4. Porém vale a pena , lugar lindo..
 São várias cachoeiras , todas com trilhas sinalizadas.

Cachoeiras do Brasil         -        Numero 8
Cachoeira de Minas Gerais   -    Numero 6
Cachoeira de Delfinópolis/MG - Numero 1
Para saber mais sobre cachoeiras no Blog:

Blog do Ademir Carosia: Cachoeira do Itambé

ademircarosia.blogspot.com/2016/01/cachoeira-do-itambe.html
24 de jan de 2016 - Para os que querem se aventurar no pé da Cachoeira de Itambé, uma trilha com um declive acentuado, onde os visitantes contam apenas ...

Blog do Ademir Carosia: Cachoeira do Mangue

ademircarosia.blogspot.com/2016/04/cachoeira-do-mangue.html
27 de abr de 2016 - Cachoeira Do Mangue · Portal Monumento De Cajuru. Cajuru - Vem de caá (mata) e yuru (boca). A cidade, localizada numa planície entre ...

Blog do Ademir Carosia: Cachoeira dos Escravos

ademircarosia.blogspot.com/2015/08/cachoeira-dos-escravos.html
9 de ago de 2015 - Tive o prazer de conhecer esta linda cachoeira,agora no final das férias de julho. Como era fim de temporada, não tinha ninguém. Descanso ...