quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Minhas ações em prol da Natureza - Numero 4

Coleta de resíduos sólidos descartados na natureza.

Toda vez que vou para fotografar natureza é comum ver este tipo de material, que infelizmente são descartados em local inadequado, e que  tenho habito de recolher.
No caso desta foto foi um trabalho que fiz junto com dois funcionários aqui da secretaria de meio ambiente. O Mauro e o Toninho. O material deste dia ficará aqui no acervo para educação ambiental. Porém a grande maioria se recicla. Então este tipo de atitude tem dois benefícios de imediato, a retirada da natureza, onde poluem e fonte de renda para pessoa a quem eu doo.


Para saber mais sobre o tema:

Blog do Ademir Carosia: Minhas ações em prol da Natureza - Numero 1

ademircarosia.blogspot.com/2018/07/minhas-acoes-em-prol-da-natureza-numero.html
 
24 de jul de 2018 - Esta de hoje foi inspiração e ideia da minha filha Marilia Carosia. Como moro sozinho, tenho que recorrer a alimentação vinda de outros ...
Você visitou esta página em 21/08/18.

Blog do Ademir Carosia: Minhas ações em prol da Natureza - Numero 2


ademircarosia.blogspot.com/2018/08/minhas-acoes-em-prol-da-natureza-numero.html
 
22 de ago de 2018 - Minhas ações em prol da Natureza - Numero 2. Educação ambiental. Resíduos da cozinha para Compostagem. Resíduos Sólidos. Sempre .

12 de set de 2018 - 22 de ago de 2018 - Minhas ações em prol da Natureza - Numero 2. Educação ambiental. Resíduos da cozinha para Compostagem. Resíduos ...

sábado, 10 de novembro de 2018

Mapeamento das abelhas sem ferrão de Arceburgo/MG - Ponto numero 16


Sanharão
Trigona Truculenta



Instalada em uma altura de 1,80 m +- do solo, entrada de barro, com um diâmetro aproximado de uma bola de bilhar.


O enxame se instalou nesta árvore, um açoita-cavalo, árvore nativa da nossa região. A árvore está solitária, no meio da pastagem de gado, longe da cidade.


Continuando nosso trabalho de levantar as espécies de abelhas sem ferrão-ASF, na natureza, identificamos mais este. Ressalto que  este trabalho foi incentivado pelo Professor e amigo Spencer da USP de Ribeirão Preto/SP.
Este trabalho tem um alcance ecológico muito grande, citarei alguns:
Conhecimento do número de espécies da cidade, para iniciação de trabalho preliminares e até científico.
Mapeamento dos locais, para estudos:locais que nidificam, altura, tipo de habitat...
Contribuição para registros de espécies para cidade, estado mineiro, Brasil...
Mapeamento dos pontos.



No ponto numero 1 
Borá
Tetragona clavipes

No ponto numero 2 
Mandaguari
Scaptotrigona postica

No ponto numero 3 
Abelha boca de sapo
Partamona helleri

No ponto numero 4 
Tubuna
Scaptotrigona bipunctata

No ponto numero 5
Borá
Tetragona clavipes

No Ponto numero 6
Tubuna;
Scaptotrigona bipunctata

No Ponto numero 7
Jataí
Tetragonisca angustula

No Ponto numero 8
Tuiuva, tujuba 
Melipona mondury, Smith,. 1863

No Ponto numero 9
Caga-fogo, Tataira
Oxytrigona tataira tataira (Smith, 1863) 

No Ponto numero 10
Guaxupé
Trigona hyalinata 

No Ponto numero 11
Jataí
Tetragonisca angustula

No Ponto numero 12
Mombucão
Cephalotrigona capitata

No ponto 13
Jataí
Tetragonisca angustula

No ponto numero 14
Iraí 
Nannotrigona testaceicornis


No ponto 15

Jataí
Tetragonisca angustula

No ponto 16

Sanharão


Trigona Truculenta 




Portanto agora já são 11 espécies identificadas na natureza, porém são 17 enxames, porque no ponto 2 são dois enxames numa mesma árvore.


Resumo das espécies:
Borá.....................2.
Mandaguari..........2.
Tubuna.................2.
Boca-de-sapo.......1.
Jatai......................4.
Tuiuva, tujuba.......1.
Caga-fogo............ 1.
Guaxupé.............. 1.
Mombucão.......... .1.
Irai.........................1.
Sanharão..............1.

Total................... 17

Sanharão



Trigona Truculenta 


“Essa é maior Trigona que se conhece. São muito bravas, desfazem roupa com as suas dentadas e tem nas suas mandíbulas algo que deixa marcas no nosso corpo.


São abelhas raras pois as pessoas matam elas.
São muito sensíveis aos forídeos.


Tem muitas rainhas mães , cada uma com sua elite possui seu pedaço território de favo. O seu pólen e armazenado em potes.

Uma abelha maravilhosa em vias de extinção porque o homem mata. 

Decoram facilmente o odor de que lhe faz mal.

Respeitem ela !! ”

Outros companheiros ainda contribuíram com as seguintes informações:


Ela mede de 1,2 a 1,7 cm em media 1,5 e toda preta, tem mandibulas igual formiga cortadeira e parece uma tubuna gigante e mais agressiva que apis africanizada, uma vez já corri delas na mata em UBERABA MG em algumas regiões também chamam de Mombuca Brava, e quando faz ninho perto de locais habitados ou caminhos geralmente o povo fica bravo com elas e enche de gasolina ou óleo o ninho a noite e mata tudo queimada.

Aqui mesmo na página da AME-RIO encontrei uma postagem antiga do amigo Winckler que ressalta as Trigonas Truculentas, vejam só :
Nome popular: Sanharão, é uma abelha do Gênero Trigona, o mesmo das Irapuás e das Guaxupés. Vejam o relato de um meliponicultor experiente, residente em uma cidade próxima a Sorocaba - SP - Alguém se habilita a dizer quem é ele? - descrevendo a Trigona Truculenta:
"As abelhas Sanharão, Soró ou Sairão, não merecem outro adjetivo senão fabulosas, são bravas porém domesticáveis. Estas abelhas não são prejudiciais como alguns dizem, elas não estragam brotos de plantas, são boas produtoras de mel e grandes polinizadoras, gostam propolizar seus ninhos com resina de pinus e similares, não são saqueadoras, são maiores que a irapuá, com quem é costumeiramente confundida, seu mel é saboroso. É uma abelha em que a colônia é fácil de dividir, depois de colocada em uma caixa, ela constrói por fora e ali forma outro ninho que deve ser separado logo após as primeiras posturas da rainha. Seu ninho costuma ter em média 50.000 abelhas, tornam-se mais mansas com o manejo diário, se alimentadas artificialmente carregam uma quantidade inacreditável de melado, no cocho só dá elas, nem apis põe a cara, tem muito aqui na região e eu tive que começar a trabalhar com elas para salvá-las de serem queimadas pelos donos das casas onde elas fazem o seu ninho".
Citação:


O amigo Felipe Tirelli identificou a espécie, e me deu várias instruções sobre esta maravilhosa abelha, e fez os seguintes comentários:
-É uma irapuá gigante.
-É do tamanho da Uruçu, da Mandaçaia.
-É muito rara.
-É muito agressiva.
-A entrada é de barro, e tem o o diâmetro de uma bola de bilhar.
-Tem um movimento grande de abelha.
-Em Minas Gerais tem muito dessa abelha.
-É uma abelha maravilhosa, faz um monte de potes gigantes.
-Uma curiosidade delas é que coletam sementes e pedaços de frutas, tem até um fedor.
-Dá muitos forídeos.
-Uma vez lidando com elas, estando de macacão não consegui transferir de tantas abelhas que grudaram no macacão, até vibravam.
-Ela instala em árvores isoladas, em locais descampadas. Esta que localizei esta nesta situação descrita.


Nota do Blog.
Está instalada em uma árvore viva, linda, que me parece a nativa açoita-cavalo, com uma altura de uns 20 m +-.
-A entrada fica numa altura média de 1,80 do solo.
- Quando a vi pela primeira vez, fiquei com receio de chegar perto, pelo grande numero de abelhas na entrada, temi que fosse marimbondos grandes.
-Vou monitorar este enxame, estarei verificando se existem mais nas imediações da mesma espécie.
-Após as fotos, retornei para a cidade , depois de percorrer uns 5 km, senti uma ferroada doida no braço, era uma delas que veio na minha roupa.


ABELHAS DE ARCEBURGO/MG - NUMERO 9
EM ESTADO NATIVO





terça-feira, 6 de novembro de 2018

Sapucaia

Lecythis pisonis Camb.


Nomes populares - sapucaia, castanha sapucaia, sapucaia-vermelha(ES), cumbuca-de-macaco, marmita-de-macaco, caçamba-do-mato.

Características morfológicas - Altura de 20-30 m ( 10-20 quando cresce isolada), com tronco de 50-90 cm de diâmetro. Folhas finamente membranáceas, glabras, de coloração rósea quando novas, de 8-16 cm de comprimento por 4-7 cm de largura.


Ocorrência - Ceará até Rio de Janeiro, na floresta pluvial atlântica. É particularmente frequente no sul da Bahia e norte do Espirito Santo.

Madeira -  Moderadamente pesada (densidade 0,88 g/cm³), dura,  resistente, grã direita, textura média, de grande durabilidade quando não enterrada.

Utilidade - A madeira é apropriada para obras externas, como postes dormentes, moirões, estacas, esteios, pontes, mastros, para construção civil, como vigas, caibros, ripas, tacos e tabuas para assoalhos, peças de portas e janelas, para confecção de peças torneadas, peças flexíveis, carrocerias, cabos de ferramentas, etc. As castanhas (sementes) são comestíveis e muito saborosas, sendo também muito apreciadas pela fauna. O fruto lenhoso é utilizado como adorno e, como recipiente na zona rural.


Informações ecológicas -  Planta decídua, heliofilita e esciófita, seletiva higrófita, características das matas úmidas da costa atlântica. Ocorre principalmente no interior da mata primária densa, porém tolera formações abertas. Produz anualmente grande quantidade de sementes viáveis.

Fenologia - Floresce a partir de meados de setembro, junto com o surgimento das novas folhas de cor de rosa ou lilás, prolongando até meados de outubro, em consequência toda copa adquiri coloração lilás. A maturação dos frutos ocorre nos meses de agosto-setembro.

Obtenção de sementes - Colher os frutos diretamente da árvore quando iniciarem a abertura espontânea, ou recolher as sementes no chão após suas queda. No primeiro caso levar os fruto as para o sol para completa abertura e liberação das sementes. Um quilograma contém aproximadamente 180 sementes. Sua viabilidade em armazenamento é curta, não ultrapassando 90 dias.


Produção de mudas -   Colocar as sementes para germinação , tão logo sejam colhidas e sem nenhum tratamento, diretamente em recipientes individuais contendo substrato organo-argiloso e mantidas em ambiente sombreado. Cobrir as sementes com uma camada de 1 cm de substrato peneirado e irrigar  duas vezes ao dia. A emergência ocorre em 40-70 dias e, a taxa de germinação é apenas moderada. O desenvolvimento das mudas é lenta, ficando prontas para plantio no local definitivo em 8-10 meses. O desenvolvimento das plantas no campo é moderado, podendo atingir 2,5 m de altura aos 2 anos.
Citação - Árvores Brasileiras - Volume 1 - Harri Lorenzi.

ÁRVORES DE ARCEBURGO/MG - NUMERO 35

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Soldadinho


Antilophia galeata


Razoavelmente comum, de forma localizada, em mata de galeria e ciliar, sobretudo no interior de  São Paulo e Minas Gerais. Em geral de 500 a 1000 m de altitude. O macho bonito, inconfundível, preto com topete frontal, coroa, nuca e alto do dorso vermelho. A fêmea oliva, com miniatura de topete. Vive a maior altura que outros tangarás e é mais fácil de ver; não é arredio. O canto do macho, uma frase assobiada, rápida e musical, “uiriri-riri-riri?” às vezes dada quando um macho persegue outro na folhagem. O macho e a fêmea dão um “uurii” ou  “uuri? Pur” rouco.


Espécie quase endêmica. Ocorre primariamente no Brasil.


Citação:  Aves do Brasil -  Mata Atlântica do Sudeste – Robert S. Ridgely, John A. Gwynne, Guy Tydor e Martha Argel.



AVES DE ARCEBURGO/MG - NUMERO 28

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Mapeamento das abelhas sem ferrão de Arceburgo/MG - Ponto numero 15



Jataí
Tetragonisca angustula


Frente do Sitio Bgt
Lateral da Mata Gr.


A abelha esta instalada no tronco desta árvore, um Mulungu viva.

A  Jatai lidera o numero de espécies.


Continuando nosso trabalho de levantar as espécies de abelhas sem ferrão-ASF, na natureza, identificamos mais este. Ressalto que  este trabalho foi incentivado pelo Professor e amigo Spencer da USP de Ribeirão Preto/SP.
Este trabalho tem um alcance ecológico muito grande, citarei alguns:
Conhecimento do numero de especies da cidade, para iniciação de trabalho preliminares e até cientifico.
Mapeamento dos locais, para estudos:locais que nidificam, altura, tipo de habitat...
Contribuição para registros de especies para cidade, estado mineiro, Brasil...
Mapeamento dos pontos.


No ponto numero 1
Borá
Tetragona clavipes

No ponto numero 2
Mandaguari
Scaptotrigona postica

No ponto numero 3
Abelha boca de sapo
Partamona helleri

No ponto numero 4
Tubuna
Scaptotrigona bipunctata

No ponto numero 5
Borá
Tetragona clavipes

No Ponto numero 6
Tubuna;
Scaptotrigona bipunctata

No Ponto numero 7
Jataí
Tetragonisca angustula

No Ponto numero 8
Tuiuva, tujuba
Melipona mondury, Smith,. 1863

No Ponto numero 9
Caga-fogo, Tataira
Oxytrigona tataira tataira (Smith, 1863)

No Ponto numero 10
Guaxupé
Trigona hyalinata

No Ponto numero 11
Jataí
Tetragonisca angustula

No Ponto numero 12
Mombucão
Cephalotrigona capitata

No ponto 13
Jataí
Tetragonisca angustula

No ponto numero 14
Iraí
Nannotrigona testaceicornis

No ponto 15
Jataí
Tetragonisca angustula


Portanto agora já são 10 espécies identificadas na natureza, porém são 16 enxames, porque no ponto 2 são dois enxames numa mesma árvore.

Resumo das espécies:
Borá.....................2.
Mandaguari..........2.
Tubuna.................2.
Boca-de-sapo.......1.
Jatai......................4.
Tuiuva, tujuba.......1.
Caga-fogo............ 1.
Guaxupé.............. 1.
Mombucão.......... .1.
Irai.........................1.

Total................... 16

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Azaléia

Rhododendron simsii Planch.

Nomes populares: Azaleia, azaleia-belga.


Angiospermae - Familia Ericaceae

Grande grupo de arbustos lenhosos, muito floríferos, originários da China, formados por hibridação e seleção entre várias espécies, principalmente R. indicum Sweet, de 1-2 m de altura, de folhas decíduas ou semi-decíduas no inverno e u tanto ásperas.


As flores são variadamente coloridas, brancas, vermelhas, arroxeadas, róseas, simples ou dobradas não raro listradas, surgidas no outo-inverno.


São intensamente cultivadas em vasos, bordaduras, em maciços ou grupos, mantidos podados ou não. A poda somente pode ser feita a pós o período de florescimento. Aprecia os solos ácidos e com boa fertilidade., bem como temperaturas amenas. 

Multiplica-se por estacas-ponteiro, plantadas sob proteção de estruturas.


Citação: Plantas Ornamentais no Brasil - Arbustivas, herbáceas e trepadeiras - Harri Lorenzi, Hermes Moreira de Souza.


Fotos colhidas no Jardim da Matriz.

PLANTAS ORNAMENTAIS DE ARCEBURGO/MG- NUMERO 17

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Flores do Cerrado - Parte 3

Parque Nacional da Serra da Canastra
São Roque de Minas/MG.



Fui ao Parque com a intenção maior de fotografar aves. Era abril de 2014, me presentei no meu aniversário, com este lindo passeio. Estava fazendo observação de aves, o que na maioria das vezes é feito olhando para cima, para o alto. Mas em vários momentos eu e meu amigo, também fotografo de aves, nos perdíamos olhando para o chão. Lindas flores, rasteiras, algumas tivemos que ajoelhar para fotografar. A cada pedaço que se anda uma surpresa, que a Natureza nos reserva Aves, bichos, flores, cachoeiras...linda vegetação. Um presente de Deus.


Abril de 2014


O nome Canastra advém do formato corcova da serra, lembrando uma antiga mala de viagens, arqueada e tacheada, revestida de couro, muito usada pelos antigos tropeiros que cruzavam a região.


O Parque Nacional da Serra da Canastra vive dois ciclos interessantes: o período de seca, marcado pelo fogo e escassez de alimentos e período prodigioso de chuvas, da fartura
Citação: Serra da Canastra- Lester Scalon.

Para saber mais sobre estas lindas flores aqui no Blog:

23 de out de 2014 - Lindas flores, rasteiras, algumas tivemos que ajoelhar para fotografar. ... a sua postagem "Flores de Cerrado - PANA da Serra da Canastra": ... o canto dos pássaros, inúmerasflores, repleto de saúde e amor todos os dias.

26 de jan de 2015 - Flores do Cerrado - Parte 2. São Roque de Minas - Minas Gerais. Flores. Quem já viajou pelo interior do Brasil, através de estados como ..













quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Ademir Carosia no programa Terra da Gente


Em 29/09/2018 , tivemos a honra de poder mostrar e falar sobre alguns dos beija-flores de Arceburgo/MG no Programa Terra da Gente, da Rede Globo, no quadro VC no Terra da Gente.



Matéria inteira no link abaixo.

29 de set de 2018
... rupestres em Minas Gerais, variedade de peixes no Pantanal e observação de aves em Peruíbe (SP) são ...
Você visitou esta página em 04/10/18.