sábado, 24 de agosto de 2013

Cariota-de-espinho

Aiphanes aculeata Willd.


Série Jardim Botanico do Rio de Janeiro

Foto que fiz da Palmeira no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, aqui o Pintor-verdadeiro, Tangara fastuosa, alimenta com seu fruto.
Nota: . Esta ave é endêmica do Nordeste, e tem uma anilha, o que demonstra que ela foi solta ou escapou de algum criatório. Fiquei três dias no Jardim Botânico e só observei esta, sorte minha e dos amigos do Blog, já que ela aparece somente em alguns pontos do nordeste
Um nordestino ameaçado de extinção
O Pintor-verdadeiro, uma das mais belas aves da fauna do Nordeste, encontra-se na lista vermelha das aves ameaçadas de extinção.

Características gerais - caule simples, de até 10 m de altura e 6-10 cm de diâmetro, com muitos espinhos negros em toda sua extensão.  Folhas 10-15 por planta; pinas distribuídas irregularmente na raque formando aglomerados de 4 pinas distribuídas irregularmente na raque formando aglomerados de 4 pinas inseridas em planos diferentes. Inflorescencias interfoliares multirramosas; profilo de difícil visualização e bráctea peduncular coberta de espinhos. Frutos globosos, 1,5-2,0 cm de diâmetro, com epicarpo vermelho e mesocarpo alaranjado, bastante oleosos.


Toda esta sequência de fotos fiz no Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Habitat - ocorre no Brasil apenas na parte ocidental do Estado do Acre, nas matas secas, em solos bem drenados.

Utilidade - bastante ornamental. Produz cachos de frutos muito vistosos. Na Colômbia encontram-se frutos nos mercados, devido a riqueza da polpa em caroteno. Esta é a única especie do gênero nativa e largamente cultivada no Brasil, principalmente pela exuberante coloração vermelha da sua infrutescência. Serve muito bem para parques de grandes dimensões e canteiros centrais de avenidas. Devido aos espinhos do caule a planta é bem protegida dos depredadores. Cultiva-se também em jardins residenciais. Quando adulta tolera períodos secos.



Produção de mudas - um kg de frutos contém 900 unidades; após despolpadas as sementes germinam com facilidade em 2 a 3 meses. Quando jovens seu desenvolvimento é melhor à sombra, tolerando o pleno sol quando adultas.
Citação: Palmeiras Brasileiras e Exóticas Cultivadas - Harri Lorenzi, Hermes Moreira de Souza, Luiz Sérgio Coelho de Cerqueira, Judas Tadeu de Medeiros Costa e Evandro Ferreira

Agradeço a colaboração da minha amiga Rosy do Rio de Janeiro, na identificação da Palmeira, bem como nas fotos ai No jardim Botânico.

Palmeiras do Brasil - Número 3
Palmeiras do Rio de Janeiro - Numero 2



3 comentários:

  1. Belo pássaro e lindas fotos, parabéns, saudações

    ResponderExcluir
  2. Oi Ademir, tudo bem? Este pássaro é muito lindo sim, já tive a oportunidade e o prazer de soltar um, quando vinha de volta de Guaramiranga, uma serra que fica a uns 100 KL de Fortaleza, e um rapaz estava vendendo o pássaro na beira da estrada, paramos, compramos e lá na frente soltamos, mas falei pra o rapaz que isso era ilegal e que o pássaro estava em extinção e que iria soltá-lo, não sei se agi certo, pois se compramos incentivamos a venda, mas era o que eu podia fazer naquele momento.
    Quanto a palmeira é muito diferente, não conhecia. Adorei as lindas imagens!
    Abraços!!!!

    ResponderExcluir
  3. Boa noite Ademir

    Minha luta para fazer a germinação desta palmeira e longa e ainda não consegui
    Mas mesmo assim vou tentando.... para um dia tê-la e alimentar os passarinhos!
    Beijos ❤


    ResponderExcluir