segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Claraíba

Nome científico: Cordia glabrata
Nomes populares: claraíba, louro-preto, piquana-negra, claraibeira, louro-de-mato-grosso, peteribi, louro-branco.


Características morfológicas - altura de 8-10 m, com tronco de 30-40 cm de diâmetro. Folhas simples, dotadas de pecíolo de 3-4 cm, coriáceas, totalmente lisas em ambas as faces, porém verde mais clara ou prateada na página inferior, de 8-12 cm de comprimento por 5-7 cm de largura.



Ocorrência - Piauí até Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso na mata semidecídua. É mais frequente na região nordeste do Mato Grosso.
Madeira - Moderadamente pesada, macia ao corte, de durabilidade média quando em condições adversas.



Utilidade - A madeira é bastante decorativa e pode ser empregada na confecção de móveis em geral.



 A árvore é extremamente ornamental quando em flor, cobrindo-se de um branco imaculado que dura várias semanas. Pelo porte, beleza e forma da copa é uma planta que se presta admiravelmente bem para o paisagismo, principalmente para a arborização de ruas. Suas flores são muito visitadas por abelhas e colibris.



Informações ecológicas - Planta decídua, heliófita, seletiva xerófita, característica das formações decíduas, como as que ocorrem no sertão do Piauí e Vale do São Francisco e , afloramentos calcários de Goiás e Mato Grosso (Pantanal Matogrossense).

Fenologia - Floresce durante os meses de julho-setembro com a planta totalmente despida de sua folhagem. Os frutos amadurecem em setembro-outubro, junto com o surgimento das novas folhas.



Obtenção de sementes - Colher os frutos (inflorescências secas) diretamente da árvore e deixá-las ao sol para uma secagem leve; isso facilita a remoção dos pedúnculos e pétalas secas através do esfregaço manual. Após esse preparo, o cálice do fruto permanece aderente ao fruto, não devendo ser retirado. Como as verdadeiras sementes não são separáveis dos frutos, estes devem ser diretamente utilizados para a semeadura. Um quilograma do material assim preparado contém aproximadamente 38.000 unidades. Sua viabilidade em armazenamento é curta.




Produção de mudas - Os frutos com o cálice aderente devem ser postos para germinar logo que colhidos em canteiros semi-sombreados contendo substrato organo-arenoso. Cobri-los com uma camada fina de substrato peneirado e irrigar duas vezes ao dia. A emergência ocorre em 30-70 dias e, a taxa de germinação é geralmente baixa. Transplantar as mudas para embalagens individuais quando atingirem 4-6 cm. O desenvolvimento das plantas no campo é moderado, podendo atingir 3 m aos 2 anos.


CITAÇÃO - HARRI LORENZI -  ÁRVORES BRASILEIRAS - MANUAL DE IDENTIFICAÇÃO E CULTIVO DE PLANTAS ARBÓREAS NATIVAS DO BRASIL - VOL.01



Nota do Blog. Além de ser um árvore interessante, suas flores exalam um excelente perfume.
Muito visitada por beija-flores, abelhas Veja na foto a beleza da madeira, é uma árvore em risco de extinção. Plantamos aqui dois exemplares dela, uma é esta da foto plantada no Jardim da Matriz e a outra no Parque ambiental.


Especie que introduzimos.


ÁRVORES DE ARCEBURGO/MG - NUMERO 27



Um comentário:

  1. linda vegetaçao Ademir,
    a flores relembram as flores das amendoeiras :)
    abraço
    Angela

    ResponderExcluir